Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Tenho dias!

28.11.16

Costumo dizer que tenho dias, tenho momentos melhores do que outros. É normal todos nós termos dias ou momentos em que estamos em melhor forma do que outros. Em que a nossa cabeça, espírito, ânimo, paciência ou qualquer outra coisa que lhe queiram chamar, esteja mais presente.

Às vezes “fervo em pouca” água, como se costuma dizer. Posso dizer que a paciência não é das minhas características mais fortes, embora faça um esforço para esticar a minha “corda mental”, nem sempre consigo tanto como desejaria. Por essa razão (e por outras) às vezes excedo-me um pouco nas minha reações com os filhos. Por vezes sai um “NÃO” quando nem sequer ouvi bem a pergunta e afinal nem havia razão para aquela resposta ou então grito mais do que queria ou seria aconselhável! Acontece...

Mas também tenho aquelas alturas em que sei de certeza que estou a fazer bem esta coisa da maternidade. Porquê? Porque os meus “bons momentos” são em muito maior número do que os “maus momentos”. E para mim, enquanto assim continuar a ser, tudo vai continuar bem. Além disso, quando sei que me excedo nas respostas, no volume da voz ou em qualquer outra atitude tento sempre voltar atrás e corrigir. Admitir o meu erro e pedir desculpa, se for caso disso e tentar repará-lo.

Quando falo em “bons momentos” não falo em nada de grandioso ou dispendioso. Falo de momentos que ficam na memória; falo de parar e ouvir, dar atenção, mesmo às coisas que nos parecem mais insignificantes; falo de um olhar, um sorriso cúmplice no momento certo; falo de ver um filme os quatro debaixo de uma manta no sofá numa tarde chuvosa; falo de uma tarde de fazer biscoitos a 8 mãos; falo de “só mais uma abracinho”; falo de jogar só mais uma vez porque ainda temos tempo antes de ir para a cama; ou falo de contar um história debaixo do edredão “para eu dormir melhor”.

tenho dias (1).jpg Estes são só alguns exemplos de bons momentos que podemos fazer juntos e que tenho a certeza são estes que vão ficar gravados nas suas memórias e, sobretudo, nos seus corações

Não é um mau momento que te torna uma má mãe. É a sucessão de bons momentos que te tornam uma mãe melhor! Li isto algures e acreditem que pesquisei muito pelo facebook para encontrar essa citação, mas não consegui. Talvez nem seja bem assim, mas a ideia geral é esta e eu não poderia estar mais de acordo com ela!

Autoria e outros dados (tags, etc)





Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D